Alienação parental - o maior mal que pode assolar uma criança !
Conheça a ALIENAÇÃO PARENTAL

                                                             ALIENAÇÃO PARENTAL

É toda atitude que um genitor ou pessoa com quem a criança tenha afeto, faça, para afasta-la do outro genitor ou outras pessoas com quem a criança tem ligação de afeto, incluindo-se e principalmente a família estendida, em especial os avós e os tios, primos, etc.. E É CRIME.

AQUELES QUE  MAIS SOFREM –  SÃO OS FILHOS !

Quando a separação dos pais, não é conduzida de forma saudável e inteligente, ficam mágoas, ressentimentos e até frustações que podem resultar em um convívio conflituoso e desiquilibrado, e quem sofre as maiores consequências são os FILHOS.
A falta de “bom senso” de um ou dos dois genitores, leva os filhos a sofrerem graves consequências, que irão influenciar em sua educação, formação e atitudes, que lhe trarão enormes prejuízos e consequências GRAVÍSSIMAS  durante a infância e afloradas na adolescência e vida adulta !

ALIENAÇÃO PARENTAL - É UMA DOENÇA GRAVE

A OMS ( organização mundial da saúde) já classificou a ALIENÇÃO PARENTAL, como DOENÇA GRAVE, que atinge as crianças vitimas deste MAL

Toda criança, precisa de um ambiente saudável e do amor e carinho de toda família, para ter uma formação completa e saudável.

È importante os dois genitores entenderem que os filhos, tem seus direitos e nao devem ser envolvidos em qualquer problema decorrente da separação.

As mágoas ou ressentimentos do casal, não podem ser usadas para afastar o filho de um dos genitores ou de sua família estendida.

Jamais utilize seus filhos como arma ou instrumento de troca.

SE faltar o BOM SENSO, seus filhos serão os grandes prejudicados com esta separação e terão consequências irremediáveis em toda suas vidas.

 

Parágrafo único.  São formas exemplificativas de alienação parental, além dos atos assim declarados pelo juiz ou constatados por perícia, praticados diretamente ou com auxílio de terceiros:  

I – realizar campanha de desqualificação da conduta do genitor no exercício da paternidade ou maternidade; 

II – dificultar o exercício da autoridade parental; 

III – dificultar contato de criança ou adolescente com genitor; 

IV – dificultar o exercício do direito regulamentado de convivência familiar; 

V – omitir deliberadamente a genitor informações pessoais relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e alterações de endereço; 

VI – apresentar falsa denúncia contra genitor, contra familiares deste ou contra avós, para obstar ou dificultar a convivência deles com a criança ou adolescente; 

VII – mudar o domicílio para local distante, sem justificativa, visando a dificultar a convivência da criança ou adolescente com o outro genitor, com familiares deste ou com avós. 

 

Art. 3o  A prática de ato de alienação parental fere direito fundamental da criança ou do adolescente de convivência familiar saudável, prejudica a realização de afeto nas relações com genitor e com o grupo familiar, constitui abuso moral contra a criança ou o adolescente e descumprimento dos deveres inerentes à autoridade parental ou decorrentes de tutela ou guarda. 

Basta "BOM SENSO" para os filhos ficarem bem !

Às vezes, erroneamente ou por falta de orientação correta, um genitor acredita que se tiver a GUARDA UNILATERAL,  terá todos os direitos sobre os filhos e o outro nenhum. O que não é verdade, pois  a GUARDA UNILATERAL, só determina quem terá a responsabilidade e cuidados sobre os filhos, não tirando porém do outro genitor o direito a FISCALIZAR, EDUCAR, TER INFORMAÇÕES e DECIDIR SOBRE SAÚDE, EDUCAÇÃO, VIAGENS, ETC..

Ou seja, apenas dá obrigações ao guardião, “tirando” do outro genitor as maiores responsabilidades e mantendo-lhe os seus direitos.

Entenda como a própria definição da GUARDA UNILATERAL, já é um principio de conflito, pois estabelece claramente que um dos dois genitores ( ou outra pessoa ) terá toda responsabilidade sobre os filhos, respondendo por tudo, e sendo responsabilizado por qualquer problema e será ainda SUPERVISIONADO(A) pelo outro genitor, que continua a deter o PODER FAMILIAR dos filhos, tendo direito a convivência  à obter todas as informações sobre estes.

Não tenho dúvida, que o melhor para todos é a responsabilidade conjunta, deixando equilibradas as obrigações e direitos dos filhos, o que só é contemplado na GUARDA COMPARTILHADA, que é a regra legal e geral hoje no Brasil e em muitos outros países e só não será concedida se um dos dois genitores, abrir mão desta modalidade.

A decisão de se tornar a GUARDA COMPARTILHADA REGRA GERAL, foi amplamente discutida por especialistas que entendem ser esta, SEM DÚVIDA,  a melhor escolha.

A solução está no BOM SENSO e no AMOR pelos filhos !

FAZENDO DIFERENTE…

Ajudar na solução de conflitos entre pai e mãe separados, buscando o entendimento e aceitação da melhor adequação da situação, pós separação, promovendo o dialogo e a compreensão de que ambos os genitores, precisam priorizar o interesse dos filhos, evitando grandes demandas judiciais que levam tempo e custam caro.

Ao abrirem mão do BOM SENSO, por orientações erradas, ambos os genitores entram em um marasmo de conflitos e situações desagradáveis que levam a mais atritos, estresse emocional, desgastes, gastos financeiros enormes, e doenças, tanto nos adultos como nos filhos, e anos depois, descobrem que tudo poderia ter sido facilmente resolvido com um pouco de compreensão e bom senso.

Não caia em armadilhas de quem só interessa estimular o conflito, ou não enxergue que cada situação é única e lhes dê a devida atenção.

Jamais deixe para um Juiz  decidir melhor que os próprios pais, o destino de seus filhos.”

Resolva de forma simples , rápida e fácil, pelo bem de todos! SIM, isso é possível e acontece muito mais vezes do que se imagina!

A solução não está nos tribunais, pelo contrário, só atrapalhará.

Quem pode e deve resolver sobre os filhos são os próprios pais, se não há entendimento por mágoas, frustrações ou negativismo, use um intermediador, pois afinal é apenas isso que o juiz será, depois de anos de disputa, constrangimentos, prejuízos e desgastes emocionais e financeiros.

Vamos abreviar o caminho?

“Não acredite em tudo o que houve, nao aceite tudo o que querem, procure sempre um especialista que entenda que você e seus filhos são únicos e precisam de uma solução ímpar”

‘Caminhos comuns, levam ao mesmo lugar sempre, a coragem e vontade de desbravar novas trilhas o faz encontrar lugares diferentes”

Se precisa de ajuda entre em contato, vamos resolver os conflitos e fazer seus filhos e todos voltarem a sorrir !